Prefeitos metropolitanos debatem medidas de enfrentamento ao coronavírus com o Estado

Prefeitos da Associação dos Municípios da Grande Porto Alegre (Granpal) estiveram em reunião com a secretária de Saúde do Estado, Arita Bergmann, na noite desta terça-feira (5) para traçar um panorama das ações de enfrentamento ao Covid-19. Arita destacou que o governo gaúcho adquiriu 80 mil novos testes que serão distribuídos conforme critérios técnicos. A informação veio em resposta a demanda dos governantes das cidades que, em consenso, entendem que o aumento da testagem pode auxiliar fortemente no controle da pandemia.

Diante das dificuldades em relação aos retornos no Lacen, Arita informa que dois novos laboratórios foram recentemente contratados e o período de espera está cada vez menor. “Sou testemunha deste novo momento, da celeridade que o Estado tem nos atendido”, disse o prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal.

Luiz Carlos Busato, de Canoas, pediu que o Estado possa mediar a destinação dos recursos do governo federal que tramita no Congresso. “Abrimos 932 leitos, temos quatro hospitais de campanha e, ali na frente, certamente vamos acolher enfermos de outras cidades. Peço que o governo estadual esteja atento a esse movimento e da oferta de estrutura”, explicou. Arita pediu para cada prefeito que apresente o seu “custo-leito”, a fórmula que cada município tem utilizado para chegar no valor do investimento. As informações serão destinadas ao Ministério da Saúde para que possa olhar criteriosamente para cada realidade.

Miki Breier (PSB), prefeito de Cachoeirinha, questionou como funcionará os protocolos de distribuição de vagas de leitos entre as cidades, já que a maioria dos pequenos municípios não dispõem de UTIs e respiradores mecânicos suficientes. A secretária Arita sinalizou que nesta quarta-feira (6) o Estado deve apresentar uma portaria que condiciona as cidades maiores, com estrutura, a acolherem seus vizinhos de comunidades menores. “Esgota primeiro o município, depois a região, a seguir a referência é a macrorregião e, finalmente, o Estado encaminha para onde houver a oferta de leitos. Essa é a lógica”.

A presidente da Granpal, Margarete Ferreti, avalia o encontro como necessário para que os prefeitos tenham mais segurança na tomada de decisão. “É preciso que tenhamos equilíbrio e unidade em um momento tão delicado. Estamos todos no mesmo barco, as cidades precisam se ajudar e o Estado necessita estar aberto para articular essa organização. Seguimos alinhados para cuidar de quem mais precisa”, avalia ela, que também é prefeita de Nova Santa Rita.

Videoconferência uniu prefeitos da Região Metropolitana




ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Clique e saiba mais.