Margarete Ferreti será a nova presidente da Granpal

Por uma decisão tomada em consenso, os prefeitos da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal) escolheram a líder de Nova Santa Rita, Margarete Ferreti (PT), como sua próxima presidente. Ela será a segunda mulher a liderar a entidade, que completará 33 anos em 2020 e representa 2,5 milhões de gaúchos. A eleição ocorreu esta quinta-feira (5), durante assembleia geral ocorrida em Guaíba.

“Seguiremos a caminhada ouvindo, construindo e pensando juntos. A Granpal é valiosa para o aprimoramento da gestão pública. É identificando problemas comuns que nascem transformações”, destacou Margarete. A posse da nova diretoria ocorrerá em 16 de abril, na sede da associação. Os vice-presidentes Daiçon Maciel da Silva (Santo Antônio da Patrulha) e Rogério Link (Sapucaia do Sul) completam a diretoria, que seguirá tendo Leonardo Pascoal (Esteio) como secretário-geral.

Quem deixa a presidência é Miki Breier, prefeito de Cachoeirinha. “Fizemos um trabalho sério, reto e coerente. Baseado na transparência dos atos e com espírito público, entendendo que a política existe para funcionar de verdade. Conduzimos a Granpal com a mesma retidão com que conduzo quase 30 anos de vida pública”, disse.

Diretor executivo da Granpal, José Luis Barboza celebrou os avanços e o papel da instituição como parceira das gestões municipais. “Buscamos honrar com o compromisso da associação, que é promover a cooperação e buscar soluções conjuntas para problemas comuns. Saio convicto de que primamos pela legalidade, pela impessoalidade e pela moralidade, princípios elementares da administração pública”, afirmou.

 

Contra a cobrança de pedágio em POA

Outro tema tratado na assembleia dos prefeitos foi o projeto que visa cobrar por quilômetro rodado os veículos não emplacados em Porto Alegre. Para contribuir na discussão sobre a iniciativa, que tramita no Legislativo da capital, os prefeitos da Granpal encaminharão uma correspondência aos vereadores manifestando opinião contrária à proposta. “Precisamos dar voz a opinião das nossas cidades e apresentar nossos argumentos”, explicou Leonardo Pascoal.

Miki Breier também se mostrou favorável e quer uma reunião para amadurecer o debate da mobilidade humana. “Cada vez mais as pessoas estão migrando para o transporte por aplicativo, e ainda não há uma unidade de legislação em relação a esse advento. Cada cidade faz de um jeito. Precisamos criar um mecanismo regulador”, avaliou.

 

Aula de história em Guaíba

Os prefeitos conheceram de perto a casa onde morreu Bento Gonçalves. Com 260 anos, a alvenaria construída com pedras irregulares e óleo de baleia como rejunte, é um dos pontos mais visitados de Guaíba. Há quase 90 anos na mesma família, a residência se transformou em museu e ilustra o início da colonização portuguesa. Historiadora autodidata, Íris Leão é quem acolhe o público.

“Em 2019 cerca de 120 mil visitantes visitaram a cidade, a maior parte deles vindo de Catamarã. O trecho pelo Rio Guaíba demora 20 minutos para quem vem de Porto Alegre”, conta o prefeito José Sperotto. O turismo pedagógico também mostra um cipreste de 300 anos considerado patrimônio cultural do Estado. A lenda conta que um comandante da tropa espanhola está enterrado debaixo da árvore. O fim do passeio culmina na “Vitrine Cultural” local que abriga exposições itinerantes e narra a Revolução Farroupilha de forma lúdica e ilustrativa.

 




ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Clique e saiba mais.