Granpal adota modelo itinerante de assembleias

Economizar recursos e estar perto das cidades. Esse é o novo desafio da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal), após anúncio feito nesta quinta-feira (26): as assembleias ordinárias dos gestores serão itinerantes a partir de agora. Todo mês, um prefeito diferente será o anfitrião, compartilhando cases em gestão. Sem a necessidade de um auditório – subaproveitado na atual estrutura – a entidade municipalista procura um novo espaço para reduzir custos.

Para o presidente da instituição, Miki Breier (PSB), a decisão faz parte de um plano estratégico que visa engajar de forma mais assertiva os prefeitos, conhecer a realidade das cidades metropolitanas e promover um intercâmbio de experiências exitosas. “Diante de orçamentos minguados e uma lista de demandas, percebemos que ouvir exemplos bem-sucedidos é necessário. Temos desafios semelhantes e, juntos, podemos construir as melhores soluções”, pontua o prefeito de Cachoeirinha.

O projeto está sendo liderado pelo diretor-executivo da Casa, José Luis Barbosa, que busca alternativas e um lugar central. “Fazer gestão na Granpal é tão importante quanto fazer gestão nas cidades. Precisamos ser exemplo no modelo de entrega e de economicidade”, destacou. Atualmente, as licitações coletivas, que permitem compras em larga escala, geram reduções de custo de até 40% às prefeituras. Cerca de 15 atas estão em vigor e mais de 30 municípios fazem uso do instrumento legal para demandas prioritárias.

Na assembleia, acolheu-se a cidade de Sapucaia do Sul que, a partir de agora, retorna para o Consórcio da Associação. “Ficamos felizes com o retorno de um município tão importante para o Estado. Isoladamente não temos força política e de representação como unidos”, disse o chefe do Executivo de Santo Antônio da Patrulha, Daiçon Maciel (MDB).

 

Tecnologia nas cidades

A nova bandeira da Granpal passa a ser tecnologias inovadoras para os municípios. “A Prefeitura não pode ser antiga em um mundo moderno. Precisamos buscar soluções tecnológicas e disruptivas para melhorar nossas entregas”, disse Miki.

A partir de agora o Diretor Executivo da Granpal trabalhará esta importante pauta. Visando inserir os municípios neste ecossistema de inovação – o qual deve prever um seminário, discussão com clusters do gênero e aproximação de cidades brasileiras que são modelo nessa área. “Não há como fugir desta nova realidade, a política precisa colocar a tecnologia no centro do debate”, defendeu Barbosa.

 

 




ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Clique e saiba mais.