Construção de Escola Infantil, parada desde 2015, é retomada em Canoas

A paisagem de abandono, com estruturas deterioradas e amontoados de paredes pré-fabricadas jogadas no chão, vai ficar para trás na rua Francisco Roberto Behrens. Em nove meses, a Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Mato Grande será realidade para a comunidade. Prometida desde 2014, a obra agora vai começar a tomar forma e sair, efetivamente, do papel. Cerimônia nesta quinta-feira (12) marcou a retomada dos trabalhos no local. A nova escola vai abrir 244 vagas em Educação Infantil e é a primeira das quatro EMEIs que a Prefeitura de Canoas irá construir ainda em 2018.

Aprovada há quatro anos pelo Governo Federal, a construção da Escola Municipal de Educação Infantil Mato Grande foi abandonada pela empresa vencedora da licitação. A antiga construtora iniciou as obras, porém, após cerca de 30% de execução, não deu prosseguimento ao trabalho. Ao assumir a Prefeitura de Canoas, a atual gestão acionou o Ministério da Educação para viabilizar a retomada da obra.

Como o governo passado já havia recebido e gasto cerca de R$ 750 mil, existiam duas opções: ou a Prefeitura devolvia esse valor ao Ministério e a obra não sairia do papel, ou cobria o gasto da gestão passada com recursos próprios e retomava a construção. O Executivo Municipal, então, optou por retomar a obra. A nova escola tem investimento total de R$ 1.617.051,94, metade desse valor sairá dos cofres da Prefeitura de Canoas.

O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, disse que ao retomar a obra, a Prefeitura está “comemorando uma batalha que já era praticamente perdida por irresponsabilidade da gestão anterior”. As tratativas para reconquistar os recursos duraram 18 meses de gestão e exigiram grande esforço da Secretaria Municipal de Projetos Especiais, Planejamento, Captação e Gestão (SMPECI). “Garantimos três coisas importantes: a recuperação de recursos junto ao Governo Federal, o não desperdício de dinheiro público e também 244 vagas a mais em escola infantil”, concluiu o prefeito.

A vice-prefeita de Canoas, Gisele Uequed, também ressaltou o trabalho de gestão e de valorização dos recursos públicos. “Essa escola serviria como exemplo de descaso com o dinheiro público. Ao assumirmos, a gente não poderia deixar isso acontecer. Corrigimos gastos que eram equivocados, pelo bem dos canoenses, pelo bem da educação. Esse abandono no Mato Grande deixa de ser um símbolo de mau uso para receber professores e alunos, na construção da cidade mais sustentável e da Canoas do futuro que queremos.”

Comunidade comemora

A volta da construção da escola foi saudada pela comunidade vizinha. Morador de uma casa que fica em frente à futura escola, o militar da reserva, Darlan Soares, disse se sentir aliviado. “Eu ficava olhando esses materiais abandonados e isso me dava uma tristeza. Era o dinheiro público sendo desperdiçado, mas agora vai melhorar tudo”, disse ele. Soares tem um filho pequeno e comemora ao saber que bem perto de casa terá uma escola que poderá recebe-lo num futuro próximo. “Uma escola aqui vai ser excelente não só a mim, mas para todo o bairro do Mato Grande. Eu vou ajudar a zelar e cuidar por essa maravilha que será construída”.

A Danusa Amaral, que mora em frente à escola há 10 anos, também comemorou a retomada das obras: “tenho uma filha de 1 ano e 10 meses, quando ela precisar ir à escola, é só abrir o portão e atravessar a rua”. Danusa ainda lembra da decepção de ver a escola sendo abandonada e deteriorada: “acompanhei as obras desde o início e, no começo, parecia que a construção iria engrenar, mas de uma hora para outra pararam tudo e abandonaram a escola. Começaram a invadir e a roubar e hoje ficou desse jeito que está, completamente destruída”, frisou.

Novas vagas em Educação Infantil

O vereador Gilson Oliveira, que na cerimônia representou a Câmara de Vereadores, lembrou que a cidade vem conseguindo reverter um quadro extremamente negativo. “Durante os anos de 2013 e 2014, Canoas foi considerado um dos piores municípios do Rio Grande do Sul na avaliação do Tribunal de Contas do Estado no atendimento à educação infantil. Dos 496 municípios do Estado, Canoas foi classificada no número 454 em 2013. Piorou em 2014, passando a ocupar a posição número 462”, disse.

Com inauguração prevista para o primeiro semestre de 2019, a EMEI Mato Grande vai ajudar a reduzir a falta de vagas em Educação Infantil. Em apenas 18 meses, a Prefeitura conquistou um fato inédito na história de Canoas: Zerou a falta de vagas em pré-escola, que são para alunos de 4 e 5 anos. Ou seja, todas as crianças nessa faixa de idade, inscritas para vagas em escolas infantis, estão frequentando a escola.

Escola de tijolo e cimento

Além da retomada das obras, a Prefeitura de Canoas também conseguiu, junto ao Governo Federal, que o modelo do prédio fosse modificado. Antes, a EMEI seria construída na Metodologia Inovadora, com material totalmente pré-fabricado como resinas, isopor e gesso. Agora, ela será feita no Método Convencional, de tijolo e cimento. A opção pela troca se dá pelo fato de que as escolas construídas no primeiro método não são resistes ao clima do Rio Grande do Sul. Assim, a EMEI Mato Grande terá a garantia de segurança e durabilidade.




ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Clique e saiba mais.